Como Fazer Um Filme Pornô, O Guia Definitivo

Assim como o agente Mulder, eu já fui um apreciador de filmes pornôs. Com o tempo, meu interesse foi diminuindo, junto com a qualidade dos mesmos. Hoje em dia, só mesmo a curiosidade, cada vez mais rara, me faz freqüentar a sessão adulta da locadora.

E a culpa não é minha, não me tornei menos tarado com o tempo, os filmes é que entraram em uma espiral descendente de falta de qualidade que parece não ter fim.

Filmes Estrangeiros

Com exceção dos japoneses e algum freak show alemão, todos os filmes produzidos mundo afora sofrem influência da indústria americana. É impossível saber onde um filme foi feito se tirarmos o volume da televisão.

As atrizes, sejam loiras ou morenas, têm todas o mesmo tipo físico e reproduzem a mesma mímica artificial que causa qualquer coisa, menos excitação no público.

Tirando adolescentes espinhentos que vêem novidade em tudo, um adulto dificilmente consegue manter a atenção e ficar acordado depois de 30 minutos de Oh yeah, oh yeah gritado hipnoticamente, como um mantra débil-mental, a 120 decibéis.

Mas qualquer filme pornô internacional pode ser considerado uma maravilha da sétima arte, se dermos uma olhada na…

Produção Brasileira

Nossos produtores seguem à risca as “tendências internacionais”, segundo alguém do meio a quem assisti sendo entrevistado.

Se filmes pornôs seguem uma série de clichês, o filme pornô brasileiro acrescenta alguns agravantes aos mesmos. Senão vejamos.

Dos Atores

WTF?

  • A imensa maioria dos atores brasileiros parece ter dificuldades com conceitos básicos como falar e caminhar ao mesmo tempo. Todos, invariavelmente, têm cara de pitboys que acabaram de carbonizar um índio antes de entrar no estúdio.
  • O figurino destas bestas reflete o item anterior. Tocas enfiadas nas orelhas, mesmo gravando na praia; camisetas modelo regata; tatuagens de gosto duvidoso, piercings na língua (nããããããoooo) e calças com metade da bunda de fora.
  • Sua atuação resume-se a bater incessantemente na cara das atrizes e em outras partes do corpo que estiverem por perto, utilizando para isso as mãos ou outras partes menos publicáveis do corpo.

Das Atrizes

  • 99% das atrizes pornôs brasileiras têm cara de empregada doméstica. Não se deixe enganar pelas capas repletas de Photoshop. Quando o filme começa, é um festival de cicatrizes de cesariana, pelos mal depilados e manchas nas coxas.
  • Há exceções, claro, mas essas, assim como as outras, invariavelmente contracenam com os pitboys, o que torna qualquer clima vagamente erótico impossível.
  • Recentemente, subcelebridades que sumiram da mídia nos anos 80 e 90 decidiram voltar através do mercado pornô. Isso gerou um subgênero que causa mais curiosidade mórbida do que qualquer outra coisa. Confie em mim. Se você teve uma atração irresistível por alguma musa da sua adolescência, faça um favor a si mesmo e não assista a nada que ela fizer de filme pornô. Eu assisti à estréia da Regininha Poltergeist no meio e me arrependi até a medula. Antes tivesse ficado com a imagem da mesma rebolando lépida e fagueira em um biquíni rosa, no auge da boa forma.

Do Figurino

Alguém estabeleceu os pilares da indumentária pornô, utilizando sabe-se lá quais critérios, e isso se tornou um dogma imutável através dos tempos. Todo filme pornô produzido na face da terra segue isso à risca.

Salto Alto

Aparentemente, mulheres ficam mais sexy utilizando um salto de 25cm, em toda e qualquer situação, 24h por dia. Elas não tiram o salto alto nunca, seja na piscina, no banho ou na cama.

O salto deve ser fino, muito fino, o que para mim torna tudo muito mais broxante ainda. Eu não ficaria à vontade com uma mulher que pode furar meu olho com um salto agulha, tão agulha que parece faltar apenas uma seringa, em um movimento mais desajeitado.

Cinta-Liga e Afins

Tudo bem, uma cinta-liga pode ser sexy. Mas quantas mulheres você conhece que usam isso o tempo inteiro? E a novidade, onde fica? Todo filme pornô mostra mulheres vestidas como se fossem trabalhar na Tia Carmen.

E o restante da roupa? Considerando que a maior parte da produção acontece no Rio e em São Paulo, qual a probabilidade da temperatura permitir o uso de um casaco de peles?

Alimentação

Morango com champanha, não importa a hora do dia ou da noite. Quer conquistar uma mulher, quer parecer sexy para um homem? Morango com champanha.

Nesse caso, é permitida apenas uma variação: morango com chantily. Esqueça o almoço, o jantar ou qualquer outra coisa.

Se no futuro arqueólogos tentarem entender nossa civilização através dos DVDs pornôs encontrados, concluirão que nos vestíamos como pitboys ou dançarinas de strip tease e nos alimentávamos à base de champanha, morangos e chantily.

Dos Subgêneros

Se no passado pornô era pornô e ponto final, hoje em dia existe um subgênero para cada gosto possível e imaginário. Acredito até que muitos subgêneros são criados à espera do possível público.

Mas isso não é nada, o pior é a enganação em alguns nichos.

Amadores

Em um determinado momento, alguém descobriu que produções caseiras tinham mais apelo pela naturalidade. Foi o que bastou para matar o gênero.

Hoje em dia, existe toda uma indústria com diretores, atores e atrizes especializados em filmar cenas caseiras.

Voyeur

As pessoas são curiosas por natureza, todos gostam de espiar, certo?

O cinema pornô sabe disso e, adivinhe? Toma câmera “escondida”.

Claro que você acredita que as mulheres se masturbam aos gritos, revirando os olhos e utilizando vibradores que parecem mais um míssil teleguiado.

Carnaval

Subgênero típico brasileiro, criado por culpa da Band.

Em uma época remota nos idos do século passado, a então TV Bandeirantes transmitia bailes de carnaval direto dos salões cariocas. O mulherio, que na época já gostava de aparecer, se exibia e, sozinhas ou em grupos, passavam a impressão de que tudo era uma grande orgia romana.

Uma semana ou duas após o Carnaval, surgiam os vídeos com “aquilo que a TV não mostrou”.

Esse filão foi se corrompendo, primeiro oferecendo dinheiro, ou passando a conversa pura e simples, nas mulheres dos bailes, para que as mesmas gerassem mais ação. Depois, infiltrando atores e atrizes no meio dos salões, para protagonizar as cenas calientes.

Por último, deixaram apenas os atores e atrizes e removeram o público normal. Está pronta a receita do pornô de carnaval pasteurizado.

O Futuro

O gênero irá sobreviver? Certamente, enquanto pessoas nascerem haverá interesse por filmes pornôs. As tendências continuarão a surgir, os dogmas continuarão a ser praticados.

Mas ao menos podiam tirar o salto alto, aquilo me dá arrepios.

Compartilhe no Facebook